16 de out de 2010

'A garota do biquíni vermelho', musical que reverencia a vedete Sonia Mamede, estreia no Rio

Por Luiz Felipe Reis
Fonte: O GLOBO 15/10/2010


Artur Xexéo surge da coxia, caminha lentamente sobre o palco, cumprimenta os atores e brinca: - Hoje eu vou fazer todos os papéis!
Ao ouvir a voz do mais novo dramaturgo da praça, Marília Pêra entra em cena:

- Tem gente estranha por aí, ou é impressão?

A dois dias da estreia, a diretora e o autor de "A garota do biquíni vermelho" parecem calmos. Parecem. E basta a luz do Teatro Sesc Ginástico se apagar e a última sirene ressoar antes de uma passada da montagem, que Xexéo se deixa levar pelo desabafo:

- Essas músicas não saem da minha cabeça. Eu deito e elas ficam rodando, não consigo dormir direito.

Dramaturgo acidental, como se classifica, Xexéo assina não apenas o texto a ser encenado a partir desta sexta-feira, mas também se lança como compositor. São dele as letras e as melodias de duas canções que adornam o musical, que reverencia e ajuda a redescobrir a atriz Sonia Mamede. Vedete do teatro de revista, estrela das chanchadas da Atlântida, musa de Carlos Manga, partner de Oscarito e esposa televisiva de Lúcio Mauro, Sonia brilhou entre o teatro, o cinema e a TV, mas desde a sua morte, há 20 anos, caiu no esquecimento. E é pelo desejo de resgatar a cultura nacional que o produtor Eduardo Barata resolveu convidar o autor e a diretora para iluminar a vida e a obra de uma estrela que a memória do país insiste em apagar.

- Como produtor, me coloco agora um pouco como autor, no sentido de que a peça é um desejo íntimo de preservar a memória do teatro e do cinema - diz Barata. - Contamos a história de Sonia através dos seus trabalhos e espero que a peça revele a sua importância para uma nova geração. Em meio a tantos musicais trazidos de fora, resolvi olhar para dentro. Nada contra a Broadway, mas o nosso trabalho é quase o oposto. Ele é mais despojado, simples, minimalista...

Marília emenda:

- Outro dia, uma das meninas entrou no palco cantando muito bem, se remexendo demais, e aí eu disse: "Para, para! Não é por aí." As vedetes não cantavam muito bem, não dançavam muito bem. Nosso trabalho é delicado.

Há mais de dois anos, o produtor percorria os corredores da Biblioteca Nacional para uma pesquisa sobre a fase áurea do teatro brasileiro. Entre os inúmeros títulos que cruzavam seus olhos, não encontrou registros significativos sobre algumas das mais importantes humoristas do país. Considerado gênero menor, o humor brasileiro, deixado de lado pelos registros bibliográficos, chamou a atenção do produtor, que definiu a partir dali a sua a trilogia do riso, que se inicia com Sonia e se fecha com peças sobre Zezé Macedo e Consuelo Leandro. Convidado para escrever o texto, Xexéo aceitou na hora, mas demorou pouco mais de um ano para fincar o ponto final. Entre os dilemas de um autor iniciante, não chegou a sofrer com a síndrome da página em branco, mas, entre detalhes de captação, produção e inspiração, foi aos poucos criando e repensando as cenas enquanto fazia entrevistas, assistia a filmes e colhia material em conjunto com o também jornalista e pesquisador Daniel Schenker.

- Não chegou a ser um processo de redescoberta da importância da Sonia, porque eu acompanhei todas as suas fases, desde criança, mas espero que a peça revele a mais gente a dimensão do fascínio que ela e as vedetes exerciam - ele diz.

Na cabeça e nas palavras do autor, a vida de Sonia Mamede deveria ser contada através de uma espécie de delírio. Do leito de um hospital, uma injeção de morfina faz sua mente ser atravessada por flashbacks que remontam os melhores momentos de sua rica trajetória.

- A primeira cena que escrevi era longuíssima, depois fui cortando e estruturando a peça, que mergulha nas etapas de tudo o que essa mulher viveu, todos os sucessos e amores que ela teve - conta Xexéo.

No palco, Regiane Alves dança sob um diminuto biquíni vermelho, se apruma em vestidos colados salpicados por brilhantes paetês e equilibra plumas na cabeça, de onde sai um microfone que capta o sotaque nortista, a língua presa, o jeito caricato e a voz pequena mas graciosa que fez de Sonia Mamede uma atriz e humorista consagrada, além de cantora de sucessos como "Maria Chiquinha".

- Quando o Barata me convidou, a primeira pergunta que ele fez foi se eu sabia cantar. Eu nunca soube cantar. Mas quando ele disse que o texto seria do Xexéo e a direção da Marília, eu disse que sim - lembra a atriz. - No dia seguinte, liguei para desfazer o mal-entendido, me desculpar e dizer a verdade. Eu não sabia cantar. Mas eles deram força, e eu comecei a ter aulas. Não podia perder a chance de trabalhar com a Marília.

Com cerca de 20 peças no currículo como diretora, Marília Pêra é conhecida pela disciplina e pelo rigor com que encara seus trabalhos, mas também pelo cuidado com os atores e o amor pelo que ocorre em cima do palco. Fã incondicional da atriz, Regiane decidiu pela profissão ao vê-la em cena, interpretando Maria Callas em "Master class" (1996). Impressionada desde então, tomou um susto quando foi convidada para um miniteste no apartamento da atriz e ainda mais quando Marília lhe pediu que cantasse "Parabéns para você".

- No dia em que a vi no palco, foi como uma luz. Então você não faz ideia do que passou pela cabeça quando soube que ela iria me dirigir - diz Regiane. - Mas nos demos superbem, e tem uma hora que você tem de naturalizar para conseguir trabalhar. Eu me identifico com o jeito dela, com a disciplina. Nunca tive uma experiência como essa. Tanto por trabalhar com a Marília como por descobrir a Sonia.

Atraída pelo texto de um dramaturgo acidental e pela chance de moldar o talento de uma jovem atriz, Marília Pêra trata a montagem, acima de tudo, como uma oportunidade única para redimensionar a importância de uma grande atriz brasileira.

- A Regiane é muito atenta e diz coisas importantes para a montagem. Além disso, tem a sensualidade, a graça e a ingenuidade que a Sonia manteve mesmo depois do sucesso - lembra Marília. - Sonia não tinha técnica, e tudo o que fazia era intuitivamente, de forma pura. Espero que esse universo possa emocionar e alegrar as pessoas.

13 de out de 2010

Abertas as inscrições do II Encontro de Dança do SESC Tijuca

O II Encontro de Dança do SESC Tijuca, visa fomentar e difundir a dança da unidade e, ao mesmo tempo, integrar grupos profissionais e amadores de dança, de diferentes escolas de dança da cidade do Rio de Janeiro, a fim de promover um intercâmbio cultural entre eles.

O evento será realizado no dia 14 de novembro de 2010, das 12h às 18h, no Ginásio do SESC Tijuca. O evento contará um workshop de hip hop, o concurso de dança com diversas modalidades de dança: ballet Clássico, dança contemporânea, hip hop, dança de salão, danças populares, entre outras, e para finalizar uma Batalha de Hip Hop.

Ao final do Encontro, os três primeiros lugares serão presenteados com um troféu do SESC Tijuca e todos os participantes receberão certificado de participação do encontro.

Além dos espetáculos, com entrada franca, o evento será uma boa oportunidade para bailarinos de quase todas as modalidades de dança se aprimorarem e trocarem experiências com gabaritados profissionais da área e, além disso, conhecer a mais nova referência da dança da Tijuca: o SESC Tijuca.

O I Encontro de Dança, que ocorreu em 2008, foi um verdadeiro sucesso, e você não pode ficar de fora dessa segunda edição. O evento é gratuito e aberto para todas as modalidades de dança.

Programação: Dia 14/11(Domingo)

12h às 13:30h – Workshop de hip hop
14:30h – Mostra de dança
16:30h – Batalha de Hip Hop
17:30h – Fechamento da mostra premiação


Local: Rua Barão de Mesquita 539 – Ginásio do SESC Tijuca

Coordenação e curadoria: PC Arte Cultura (Patricia Castro)
Produção Executiva: Priscila Ramos
Professor de Hip Hop e Videomaker: Mayckon Almeida

Faça aqui o download da ficha de inscrição


______________________________________________
Regulamento II Encontro de dança SESC Tijuca

I – Da Promoção

Art. 1º – O II Encontro de Dança é um evento cultural, promovido pelo SESC Rio – Unidade Tijuca em parceria com a PC ArteCultura: Patricia Castro, Priscila Ramos e Mayckon Almeida, a ser realizado no dia 14 de novembro de 2010.
Art. 2º – São objetivos gerais do II Encontro de Dança:
- Formar um público interessado em dança, tornando a unidade uma referência em Dança, na Tijuca
- Oportunizar aos bailarinos amadores demonstrarem todas as suas habilidades, criatividade, desenvoltura e técnicas nas variadas modalidades de dança: dança de rua, danças populares, dança afro, dança do vente, dança de salão, dança espanhola, dança contemporânea, jazz e ballet moderno, entre outras..
- integrar, aproximar e promover a troca de experiências entre os grupos artísticos e alunos de diferentes escolas de dança da cidade do Rio de Janeiro.
- promover a integração e o intercâmbio cultural entre os alunos e professores do setor de dança do SESC Rio – Unidade Tijuca.

II – DA ORGANIZAÇÃO GERAL

Art. 3º – A PC ArteCultura, será a coordenadora geral do II Encontro de Dança, a quem é conferida os poderes para organizar o evento no que diz respeito à dinâmica, logística, seleção de participantes, organização e premiação através de troféus aos três primeiros lugares, juntamente à equipe do SESC Tijuca. Todos grupos participantes receberão um certificado.

III – DAS INSCRIÇÕES
Art. 4º – As inscrições estarão abertas a partir do dia 11 de outubro até o dia 10 de novembro de 2010, através dos blogs PC Arte Cultura: www.patriciacastro.net e Canto Cult www.cantocult.blogspot.com
Art. 5º – Para se inscrever, o responsável pelo grupo de dança deverá ler todo o regulamento e preencher a ficha de inscrição, ambos no site, respondendo as solicitações e posteriormente encaminhar aos seguintes e-mails: cultura.patricia@gmail.com; mayckonphylosophy@hotmail.com e priscilaframos@gmail.com
Art. 6º – Na ficha de inscrição deve ser listado o nome de todos os participantes, incluindo bailarinos, nome da Cia. ou escola de dança, coordenador e coreógrafo.
Art. 7º – No ato da efetivação da inscrição, o grupo deverá encaminhar aos e-mails a ficha de inscrição devidamente preenchida, bem como informar o link que será postado no YouTube, para a apresentação para seleção prévia.
Art. 8º – As vagas são limitadas, podendo as inscrições encerrar-se antes do prazo, caso as vagas sejam preenchidas.
Art. 9º – No caso de integrantes menores de idade será necessário à autorização dos representantes legais dos mesmos
Art. 10º – Trazer uma cópia do comprovante de inscrição e o termo de compromisso, que serão solicitados na entrada do Encontro, juntamente com a cópia dos documentos pessoais (RG ou Certidão de Nascimento) dos integrantes.
Parágrafo Único: O regulamento e a ficha de inscrição estarão disponibilizados nos blogs www.patriciacastro.net e www.cantocult.blogspot.com

IV – DA REALIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

Art.11º – O II Encontro de Dança será realizado no dia 14 de novembro de 2010 com a seguinte programação:
12h às 13:30h – Workshop de hip hop
14:30h – Abertura da mostra com apresentação de dança
16:30h – Batalha de Hip Hop
17:30h – Fechamento da mostra com apresentação de dança e Premiação
Art.12º – A Comissão Organizadora deverá informar o local, o dia, o horário e a ordem de apresentação de cada grupo inscrito.
Art.13º – Nos casos em que ocorra atraso de apresentação, seja por qual razão for a apresentação do grupo será suspensa.
Art.14º – O tempo de apresentação deve atingir a minutagem é de 2 minutos, no mínimo, e de 5 minutos no máximo;
Art.15º – Fica estabelecido 02 (dois) minutos de tolerância para o grupo que exceder ao tempo determinado para se apresentar neste regulamento.
Art.16º – Não serão permitidas apresentações, com o uso de:
a) Cenário fixo ou móvel, banners, efeitos de maquinários, objetos que possam danificar o palco ou que sirvam de ameaça à platéia, nenhum recurso cênico que possa prejudicar as apresentações posteriores como: água, arma, fogo, vela, óleo, purpurina, talco, qualquer animal, e outros;
b) Apresentação completamente “nu”, ou que exponham os objetivos do Encontro.
Art.17º – As imagens dos grupos participantes serão utilizadas pelo SESC Rio, a critério da Coordenação do evento, sendo assim estas autorizações deverão ser assinadas pelos participantes e ser entregue na reunião do dia do evento.
Art.18º – Os grupos de dança deverão ter entre 2 (três) e 8 (oito) componentes.
Art.19º – No dia do Encontro, o responsável de cada grupo deverá estar no local do evento às 10h (dez horas), três horas antes do Encontro, para uma reunião com a equipe técnica do evento.
Art.20º – A música executada para a apresentação do Grupo deverá estar etiquetada e ser entregue em CD ou MP3 pelo responsável do grupo no dia 05 de novembro de 2010, às 10h, no local do evento, na reunião citada no art. 19, e serão devolvidos no final do ensaio.
Art.21º – Caberá ao grupo participante trazer o material técnico necessário para sua exibição; trajes, adereços, etc. Não serão aceitas gravações de baixa qualidade contendo ruídos, chiados, aplausos ou outras interferências e nem mesmo gravações em fitas cassete.
Art.22º – Os demais participantes deverão chegar com uma hora de antecedência (exceto o responsável de cada grupo que deverá chegar ao local três horas antes, conforme o Art. 19 desse regulamento).
Art.23º – A ordem das apresentações será divulgada no dia do Festival, na reunião com os organizadores, mediante aos dados recolhidos durante o período das inscrições.
Art. 24º – No caso do grupo não ter nenhum trabalho publicado na internet para visualização, será necessário que o candidato produza um vídeo em tempo real e disponibilizá-lo no blog PC Arte Cultura (citado acima), ou no YouTube, para seleção prévia, e informar seu link na ficha de inscrição conforme o Art. 6 deste regulamento.

V – DAS INFORMAÇOES TÉCNICAS

Art.25º – o SESC Tijuca será responsável no local de realização pela: iluminação e sonorização básicas, segurança, camarins, limpeza e o ECAD.
Art. 26º – Não será possível afinação de luz para cada grupo participante do Encontro.
Art.27º – A Coordenação do evento não se responsabilizará por objetos deixados nos camarins.
Art. 28º – Não será permitido tirar fotos ou filmar o evento, exceto o Mayckon.

VI– DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Parágrafo Único: A simples inscrição no concurso entende-se concordância com este regulamento