23 de jun de 2010

Um pouco de Produção Cultural na Era Digital

Entenda um pouco mais de como a cultura está ganhando espaço para se propagar e difundir no meio digital.

Não vou, aqui, me estender sobre o que é cultura digital e de como isso se desenvolve, pois muito é discutido e falado sobre isso e não é essa a questão de hoje. Vou apenas resumir o conceito de Cultura Digital, usando aquele definido no Seminário Internacional de Diversidade Cultural, pelos pesquisadores e ativistas Bianca Santana e Sergio Amadeu da Silveira:

“Reunindo ciência e cultura, antes separadas pela dinâmica das sociedades industriais, centrada na digitalização crescente de toda a produção simbólica da humanidade, forjada na elação ambivalente entre o espaço e o ciberespaço, na alta velocidade das redes informacionais, no ideal de interatividade e de liberdade recombinante, nas práticas de simulação, na obra inacabada e em inteligências coletivas, a cultura digital é uma realidade de uma mudança de era. Como toda mudança, seu sentido está em disputa, sua aparência caótica não pode esconder seu sistema, mas seus processos, cada vez mais auto-organizados e emergentes, horizontais, formados como descontinuidades articuladas, podem ser assumidos pelas comunidades locais, em seu caminho de virtualização, para ampliar sua fala, seus costumes e seus interesses. A cultura digital é a cultura da contemporaneidade”.

Tendo isso em vista, vim aqui falar de como isso modifica, especificamente, o meio da produção cultural hoje, e o que tem sido feito para aprimorar a difusão e a produção de arte e cultura a partir daí.

A internet é uma grande ferramenta para a difusão de cultura, se usada de forma adequada. O maior exemplo que temos disso é no meio musical. Hoje em dia é muito fácil de se chegar a uma música que se gosta, poder tê-la em seu computador, ou escutá-la online. Existem diversas ferramentas de difusão para isso, cada vez mais músicos encontram maneiras de espalhar sua arte por aí, principalmente através das mídias sociais, como myspace, blogs, fotologs, videologs, twitter, facebook, etc.

A partir daí e do desenvolvimento das tecnologias, ficou cada vez mais fácil, também, de se produzir e divulgar videoclipes. Uma banda independente consegue gravar um clipe, mesmo que ainda amador, e mostrar seu trabalho em mais espaços, atingir mais pessoas, trocar mais pelas redes. Além disso ainda há quem grave suas próprias versões de clipes já conhecidos (o que se chama de spoofs), e os próprios grandes artistas conseguem, hoje, ter seus vídeos muitos mais vistos graças a essas novas ferramentas, principalmente o youtube. Recomendo o trabalho do site Clipestesia, que discute a questão dos videoclipes de forma bem mais abrangente e profunda do que se pensa sobre ele por ai.

Essa difusão também modificou o cenário dos filmes, principalmente dos curtas-metragens, que, agora, tem maior visibilidade e diversos canais dedicados a eles. O mais conhecido é o porta-curtas, da Petrobras.

Gosto muito também de como a literatura se desenvolve nesse meio. Textos e mais textos são publicados diariamente em diversos blogs pessoais, seja poesia, crônica ou conto, os escritores encontraram formas de se expressar e aparecer para o mundo antes mesmo de publicarem livros. Tem dois blogs que conheço e que fazem um ótimo papel na difusão dos novos escritores, de textos interessantes, etc: http://o-bule.blogspot.com e http://www.napontadoslapis.com.br. Recomendo, também, um perfil de twitter muito interessante, que posta micro-contos, mini-histórias escritas em até 140 caracteres, o @microcontos. Ele acompanha um site, o http://microcontos.com.br . O twitteratura faz algo no mesmo estilo: http://www.twitteratura.blogspot.com. Apesar de ser um blog, seus textos tem até 140 caracteres.

Nas artes visuais o mesmo acontece com muita facilidade, afinal, não há formato mais fácil de se divulgar virtualmente do que a imagem. Fotografias, quadros, esculturas...todo o conhecimento passa a chegar ao expectador de forma muito mais rápida e gratuita. Hoje é quase impossível conhecer um artista plástico que não tenha um portfólio virtual, ou, ao menos, um canal online, como um site ou um blog.

Ok, observando o descrito acima tudo nos parece normal: artes visuais, música, audiovisual, literatura...isso tudo é fácil de se divulgar virtualmente.

Agora, você já parou para pensar se existe algum canal, dentro desse conceito de cultura digital, que propague as artes cênicas? Essa foi a novidade de 2010 que mais me chamou atenção nesse meio. O portal “Cennarium”, lançado esse ano, propõe a exibição de peças teatrais brasileiras para ter um alcance muito maior. Elas são exibidas online, a um custo muito baixo, democratizando e difundindo a cultura de forma muito mais ampla. Atualmente o site está sendo reformulado, mas dá para entender seu funcionamento através de suas redes sociais: @cennarium, formspring.me/cennarium, blog.cennarium.com.

Muito se discute sobre o assunto, principalmente a questão da formação de público (inclusive eles já responderam sobre isso em seu formspring). Mas o fato é que a produção teatral, hoje, é muito cara ao se considerar a renda média brasileira, além de estar concentrada nas capitais da região sudeste. O portal propõe uma difusão de longo alcance, possibilitando pessoas que não tem as opções em suas cidades, de “ir ao teatro”.

Acredito que cada vez mais ações desses tipos irão acontecer, a tendência é só aumentar. A parte mais difícil da cultura digital é filtrar o conhecimento e chegar até determinada fonte quando não se sabe que ela existe.

Por isso proponho nos comentários desse post que você colabore com alguma iniciativa cultural virtual que considere interessante aos leitores, como eu acabo de compartilhar acima as que eu mais gosto.

Até a próxima ;)

14 de jun de 2010

Música no Museu dá ênfase à voz em junho, apresentando atrações internacionais



Semana de 13 a 20 de Junho de 2010

Depois do sucesso do V RioHarpFestival- todos os concertos lotados - a programação de Música no Museu não vai parar, mesmo com os jogos da Copa. Assim, em junho, privilegia voz nos seus 27 concertos do Rio de Janeiro, mesclando trechos de óperas e clássicos brasileiros e europeus, sendo destaques a mezzo-soprano, Mere Oliveira, que virá de Budapeste e Nuremberg e se apresenta no Palácio São Clemente, Consulado de Portugal, de Nova Iorque, o cantor lírico Cláudio Mascarenhas- que se apresenta com o pianista Jonas Dantas no Centro Cultural Justiça Federal, participação especial da soprano Tania Apelbaum- a soprano Angélica de la Riva, com o violonista colombiano Nilko Andreas Guarin no CCBB. Destaque também, para o Duo Diva Evelyn Reale e Emma Souza Lima, piano a quatro mãos no Museu da Republica, assim como Malu Garcez, voz também no CCBB.

Neste mês, também receberá o consagrado pianista italiano Gianni Maria Ferrini, no dia 30 no Centro Cultural Banco do Brasil. Já entre os Coros, destaques o Abstrassom, Coro Brasil Ensemble UFRJ, o Madrigal do Leme e o Cantante Deo.

E, com a maior alegria, traz o pianista Ednaldo Borba dia 11 no Centro Cultural Justiça Federal, ele um dos vencedores do I Concurso Jovens Músicos-Musica no Museu, vindo diretamente da James Madison University onde cursa o segundo ano de Doutorado através da Bolsa recebida como prêmio.

Confira a programação completa em http://www.musicanomuseu.com.br

Editais de Junho

CCBB - Finalizou em 01 de junho

Os projetos serão contemplados nas áreas de artes cênicas, exposições, idéias, cinema e vídeo e para o programa educativo, nos CCBBs do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e também para o CCBB Itinerante – que contempla outras cidades e procura levar projetos para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Caixa Cultural - Finaliza em 18 de junho
http://www.caixacultural.com.br

O Edital 2010 de Ocupação dos Espaços Culturais da CAIXA vai destinar R$ 23 milhões para projetos nas áreas de artes visuais (fotografia, escultura, pintura, gravura, desenho, instalação, objeto, vídeoinstalação, intervenção e novas tecnologias ou performances); artes cênicas (teatro, dança e performance de palco); música; cinema e outros. Além das modalidades espetáculos, exposições, exibições, estão contempladas ainda palestras, encontros, cursos, workshops, oficinas e lançamento de livros.

Já o Programa CAIXA de Apoio ao Artesanato Brasileiro contemplará as várias etapas do processo produtivo, visando ao desenvolvimento de comunidades artesãs e à valorização do artesanato tradicional e da cultura brasileira. Em 2010, a CAIXA planeja investir no programa cerca de R$ 1 milhão.

Por fim, o Edital de Festivais de Teatro e Dança vai destinar R$ 3,5 milhões para eventos que deverão ocorrer entre janeiro e dezembro de 2010 em todo país. * Lançamento sincronizado e integrado* No dia 04 de junho, as unidades da CAIXA Cultural vão viver uma noite diferente. Integrados via satélite, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Salvador realizarão uma única solenidade de lançamento dos três editais e do novo Manual do Produtor.

Edital Natura Musical - Abriu em 01 de junho
http://www.naturamusical.com.br

O foco são projetos que representes nossa música, brasileira de origem e universal por vocação. O período de inscrição acontece de 1º de junho a 1º de agosto.

Editais Programa Petrobras Cultural - de 10 de junho a meados de julho
http://hotsitespetrobras.com.br/ppc/default.asp

Serão contemplados projetos na área de formação, através de Educação Para as Artes; Preservação e Memória e Produção e Difusão, através de artes cênicas, audiovisual, cultura digital, litearatura e música.

Os prazos vão até a semana do dia 19 a 23 de julho, dependendo de cada edital específico.

Alguns editais da Funarte prorrogaram seus prazos até o dia 17/06, além de outros que abriram depois e tem o prazo maior. Os que estão abertos são:
  • Microprojetos Mais Cultura na Amazônia Legal: inscrições prorrogadas
  • Prêmio Funarte de Composição Clássica
  • Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura
  • Microprojetos Mais Cultura investirá cerca de R$ 14 milhões na Amazônia
  • Prêmio Funarte de Composição Clássica
  • Iberescena lança editais de apoio às artes cênicas

4 de jun de 2010

Pré-estreia de “Não existe mulher difícil”

Nesta sexta-feira (4), às 21 horas, acontece a pré-estreia da peça “Não existe mulher difícil”, no Teatro Abel, em Niterói. Existe ou não mulher difícil? Quais são as estratégias para conquistar este ser tão complexo? Estas e outras questões são colocadas de forma bem-humorada no espetáculo, que fica em cartaz até 13 de junho.

Inspirada no livro homônimo de André Aguiar Marques, a peça traz o ator Marcelo Serrado pela primeira vez em um monólogo. O espetáculo tem texto adaptado por Lúcio Mauro Filho e direção de Otávio Muller. Em cena, Serrado dá vida ao seu personagem, um pianista que acabou de ser traído e fica tão arrasado que não consegue fazer o show e começa a contar a história de seus amores.

O ator Marcelo Serrado conta que o livro foi só o ponto de partida. “Tem muita coisa nossa na peça e, por isso, o público vai se identificar. O espetáculo não é machista. É um manual para homens e mulheres, com um personagem sendo um cara muito legal”, explica Marcelo.

A peça vem para o Rio de Janeiro em agosto, aguardem!

Fiquem ligados na nossa promoção do twitter para a pré-estreia, hoje. Sigam @cantocult e participem.

Fonte: http://www.osaogoncalo.com.br